domingo, 18 de junho de 2017

Proletário Lírico Menino poético

 Tarde fria. Então eu me sinto um daqueles velhos poetas que sentem um frio na alma. Mas eu não tenho o charme de uma garrafa de Uísque e de ser um careca barrigudo... mas eu sinto uma saudade só minha e penso no amor devagar. Bem devagarinho...

 Sinto uma vontade de escrever bobagens bem meigas, bobagens pra todo mundo me achar ridícula. Pensando num garoto homem, num proletário poeta de movimentos estudantis em um dia sem assunto. Amor teimoso de um menino lírico. Sem ter consciência que uma esquina distante de uma não lembrada cidade, de pé estará uma mulher perplexa, pensando teimosamente, pensando docemente no proletário e lírico menino poeta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário