quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

::sou eu::

É feito de sol, e muito mais. Tem crueldade. Não se ofende com as posições do amor. Ás vezes é quase inaudível. E me ama. Pelo seu reverso.
        Me deixa desesperar e responde com respiração quente na nuca. Se descuida, fica meigo, passeia sem medo, do dedão do pé até o topo da minha cabeça. Eu fico calada. Me viro indócil.
        Boca é boca. Mão é mão. Se eu não disse nada nem antes nem depois, é porque já sou tua.


Nenhum comentário:

Postar um comentário