quarta-feira, 15 de abril de 2015

O que não é meu

Essas dores que são só minhas
Meus desafetos e meus desenganos
Erros constantes
E uma baixa autoestima que me anula.

Ser humano imperfeito que sou

Nem meus pensamentos me obedecem
O que ia escrever a dois minutos já nem lembro mais.
E me doía tanto...
Anormal que sou

Nem as maiores afrontas ficam registradas
Esqueço tudo e passo
Mas se sou a falar demais...
Ninguém perdoa
Olho por olho
Dente por dente
Desleal que sou

E tudo aquilo que sou
Não é o suficiente
Pra ser o que preciso.
Ser.


Nenhum comentário:

Postar um comentário