quarta-feira, 15 de abril de 2015

CARROSSEL

Pedaço de dilacerado coração. Ainda palpita na angústia. Ainda caminha sozinho. Oh, coração tão só... pensando em esquinas distantes e cavaleiros errantes. Meu cavaleiro galopa em um carrossel.

   E o grande carrossel. Insano carrossel. Com seus cavalinhos coloridos, os lábios pintados de um rubro assustador. Girando... subindo... descendo... subindo... descendo... o movimento acompanhado por aquela musiquinha de parque de diversões. Monótona musiquinha de parque de diversões. Repetindo-se infinitamente... infinitamente...

 

O que fazer se o carrosel não pára?!?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário