quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Saudades das coisas e das pessoas.
 Dois dias que se vão... com ou sem sol. 
   Das rimas e dos poemas tolos que um dia aquele menino bobo me escreveu num papel de pão. 
   Quem me dera eu escrevesse meu amor assim... Mas meu sorriso é amarelo e eu só lembro das saudades.


Nenhum comentário:

Postar um comentário