terça-feira, 21 de maio de 2013

MEDIDAS




Poesia tem que ser simples,
Amar não deve ser complicado,
Aliviar as dores é como parto
E o ódio deixo pra mais tarde.

O pensamento se mantém espontâneo
O corpo, continua em pelo
Os olhos ainda sentem medo
Do beijo, um pouco incomum.

O equilíbrio que afunda é o suspiro.
Desculpa sem mágoa, serve de pretexto
Afasto meus sentidos numa volta
E não sei mais me medir.
Domingo , 25 de Setembro de 2011 

Nenhum comentário:

Postar um comentário