sábado, 15 de julho de 2017

Maurício e eu
Somos dois
80, 90...
Diferenças pra depois

As vezes me leio
Em lemisnki
As vezes meio cheio
De uísque



Saiu um solzinho
Ouvi um solzinho
Maria no rio
E eu triste e sozinho

Quando te vejo, e só quando te vejo
Sinto aquela alegria louca
Crianças chupando bala
Que estavam no céu da boca

Quando te beijo, e só quando te beijo
Tenho espasmos a noite inteira
Crianças, que em dia de sol
Tomaram banho de mangueira

DIAS
NOITES
AÇOITES

Tem.coisas que nos fazem
Chorar sorrindo

Tem coisas que nos fazem
Sorrir chorando

Venho tentando ser
Um poeta social
Lutando contra os latifúndios

Mas não passo de um boçal
Falando com gerúndios

Amor novinho em folha
Ganhou o vinho
Perdeu a rolha

Queria escrever
Um poemas daqueles
Com mais de três linhas
Mas uma vida pequena
De pernas tão curtas
Só pode escrever poesiazinhas...

A ROSA ESPERAVA NERVOSA
TOMANDO UMA PINGA
MEU DEUS, QUE DIA
ESSE ASSALTO
PARECE MANDINGA

Poemas de Maurício

FINIS COITUM, SEM MIMOS
VIRAMOS DE LADO
DOR MIMOS


QUEM SE ARRISCA
COMENTA
ME PETISCA

VIVA COMO O ANALISADOR
COMO VI ANA
COMO VI LISA
COMO VÊ DOR

GRANDE AMOR O SEU
PERGUNTAR DE MIM
PRA SABER DO EU



EM TUDO
VEJO TUA CARA
MULHER CANALHA

ACORDO RANZINZA
TNGIU NOSSO AMOR
A
COR
DO
CINZA



ANA ERA LINDA E LEVE
TRAIU-ME
A LEVE ANA

domingo, 18 de junho de 2017

Proletário Lírico Menino poético

 Tarde fria. Então eu me sinto um daqueles velhos poetas que sentem um frio na alma. Mas eu não tenho o charme de uma garrafa de Uísque e de ser um careca barrigudo... mas eu sinto uma saudade só minha e penso no amor devagar. Bem devagarinho...

 Sinto uma vontade de escrever bobagens bem meigas, bobagens pra todo mundo me achar ridícula. Pensando num garoto homem, num proletário poeta de movimentos estudantis em um dia sem assunto. Amor teimoso de um menino lírico. Sem ter consciência que uma esquina distante de uma não lembrada cidade, de pé estará uma mulher perplexa, pensando teimosamente, pensando docemente no proletário e lírico menino poeta.


...

Lembrar do passado aperta o peito
Principalmente o meu,
que sonhava em ser poetiza
carregando as dores do mundo
e palavras bonitas.

Nada mais que ser comum.


::MISTÉRIOS::


Queres desvendar meus mistérios?
Entrar no meu mundo?
Entraste pelo lado errado
Perfurando meus rins
Desmanchando meu fígado
Comendo meu estomago
Lambendo meu sangue
Vai.
Sobe um pouco mais
Encontra meu coração dilacerado
Desenlace meus pensamentos
Cuidado para não quebrar
Os cacos de vida que ainda me restam
O que queres ali está
Mas saiba
Já cutucaste a ferida
Já estourou bolha
Tirou casquinha
Já saiu todo o pus de verdade
Agora
Toma coragem
Entra no meu mundo...


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

::RECEITA::

Eu te derramo.
E me liquido em tuas lágrimas
Me entrego em pedaços
Te misturando
Me devorando...
Ao Teu cheiro forte.
Me misturo
Me canso
Te canso
Me joguei em você
Pensando ser eu
Me espelhei
Te vi
Me beijei
Na tua pele
Me joguei.
Aqui
Agora
Mesa vermelha poça
Somos
Nossos.

Ilustração: DW
Música do dia: How to disappear completely - Radiohead